Iraquara Notícias - Marcos Bispos e Luciano Santos
Gasolina e botijão de gás estão mais caros a partir desta terça-feira
Publicado em 09/07/2024
Com o anúncio, pela Petrobras, do aumento de R$ 0,20 no litro da gasolina, a previsão é de repasse de R$ 0,15 na bomba Pela primeira vez no ano, a Petrobras decidiu reajustar o preço da gasolina e do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) — o popular “gás de cozinha” — comercializado para as distribuidoras. Ontem, a companhia emitiu uma nota que informa os novos valores que entram em vigor a partir de hoje. O litro da gasolina — antes vendido a R$2,81 — aumenta R$ 0,20, e passa a valer para R$ 3,01. Enquanto isso, o preço do botijão de gás tradicional, de 13kg, foi reajustado R$ 3,10 (de R$ 31,60 para R$ 34,70). A medida não vale para o diesel. Com o aumento para as distribuidoras, os valores devem ser repassados para o consumidor final. Uma estimativa realizada pela Warren Investimentos calcula que, com o reajuste de R$ 0,20, o preço da gasolina na bomba de combustível deve subir R$ 0,15. No final de junho, um levantamento realizado pelo Ticket Log apontou que o preço médio da gasolina vendida nos postos de abastecimento era de R$ 6,02. A carestia dos combustíveis gera afiliação entre os consumidores. Para o assistente comercial Deividi Caetano, de 21 anos, o deslocamento para o serviço gera um prejuízo cada vez mais intenso para quem trabalha totalmente presencial, como é o caso do brasiliense. “No final, a gente acaba gastando muito mais do que até mesmo ganha como salário, porque a gente está gastando em combustível”, conta. Já para o motorista de aplicativo, Gabo Rogério, de 38 anos, o preço médio atual da gasolina no país, que já passa de R$ 6, é um “absurdo”. “Para a gente que está no dia a dia, na linha de frente, está ficando bastante complicado”, relata o motorista. Segundo o presidente do Sindicombustíveis-DF, Paulo Tavares, somente hoje, indo aos postos, vai ser possível saber quanto vai ficar na bomba. “Precisamos aguardar se as distribuidoras vão repassar o total de R$ 0,15, ou mais, ou menos, visto que já foram somados R$ 0,05 nos últimos 15 dias”, analisa. O valor que o presidente do sindicato menciona refere-se ao aumento no preço do etanol no mercado nacional, que acompanha a valorização da cana-de-açúcar, matéria-prima utilizada para fabricar o combustível. Isso ocorre porque a gasolina vendida nos postos (também chamada de gasolina C) é composta por 73% de gasolina A e por 27% de etanol anidro.